24 de Dezembro de 2018

Zero Latency: realidade virtual que “apaixona” miúdos e graúdos há um ano

O Zero Latency faz em dezembro um ano de operações em Portugal e falámos com o responsável Alberto Marcos sobre o jogo-experiência de realidade virtual que tem verdadeiros apaixonados. 

Está no Dolce Vita Tejo (Amadora) desde o princípio de dezembro de 2017 e é a primeira grande experiência de realidade virtual no país. O Zero Latency é uma empresa de tecnologia que desenvolve sistemas de realidade virtual para se circular livremente em sala. Foi fundada na Austrália em 2015 e já chegou a 21 cidades, uma delas é Portugal.

E o que é? A experiência Zero Latency, na versão em Portugal, baseia-se numa tecnologia flexível e escalável que permite adaptar-se a diferentes áreas de jogo e até oito jogadores em simultâneo numa área de jogo de 225 metros quadrados. O espaço não tem paredes físicas, o que permite ao jogador andar e lutar em diferentes cenários virtuais e a liberdade de movimento única é obtida graças a equipamento especial.

Cada jogador tem consigo uns óculos de realidade virtual baseados em OSVR (Open-Source Virtual Reality for Gaming), uma pequena mochila às costas com um computador AlienWare e armas simuladas impressas em 3D. Tudo junto “permite proporcionar ao jogador um grande realismo”, diz Alberto Marcos, diretor de desenvolvimento da Zero Latency. Já o sistema de rastreamento utilizado inclui um jogo de câmaras que segue os movimentos dos participantes, envia um sinal aos servidores que o processa e o devolve ao computador que os jogadores levam às costas.

O responsável explica o funcionamento: “É nessa altura que a imagem é renderizada e reproduzida nos óculos de realidade virtual e tudo em tempo real e com uma latência zero (diferença de tempo entre o que faz um jogador e quando o vê). É daqui que vem o nome do Zero Latency”.

Segue-se a breve entrevista a Alberto Marcos:

Quantas pessoas já jogaram até ao momento, que idades têm e de onde vêm?
Até ao momento jogaram mais de 30.000 jogadores de todas as idades – dos mais novos aos mais velhos. Maior parte da grande Lisboa mas também de outras cidades e turistas.

Quem é que teve melhor pontuação até agora?
Há um jogador da área de Lisboa que se tem destacado e detém os recordes dos jogos Zombies Survival e Singularity. Sempre que percebe que algum jogador o ultrapassou volta para bater de novo o recorde. No caso de Zombie Survival, onde a média de pontos ronda 200.000 por jogador, ele atingiu os 507.000 pontos. No caso de Singularity, onde a média de pontos é de 30.000 pontos, atingiu os 72.800. pontos. Por acaso, na semana passada, o recorde de Singularity foi batido e por isso, em breve, o jogador de que falo deve voltar para reclamar o trono.

Têm outras diversões além dos jogos para se circular na sala grande. Quais são? 
No início do ano, trouxemos para o espaço da receção do espaço uns simuladores de realidade virtual de motos – a fazerem lembrar as motos do filme Tron -, de carros de corrida, entre muitos outros, proporcionando outro tipo de experiências de realidade virtual real. A plataforma de realidade virtual da Immotion oferece uma combinação entre dispositivos ativados por movimento e a sincronização com áudio e vídeo imersivos. Trata-se de uma nova oferta e que coloca o Zero Latency no único Hub de RV em Portugal.

Quais os números de investimento e que novos jogos vão existir?
Estamos permanentemente a investir no conceito e cada lançamento de um novo jogo – foram lançados 2 em Portugal em 2018 – traduz-se num grande investimento em software e hardware. E a Climbing Planet (empresa que opera o negócio da Zero Latency em Portugal) está muito confiante no mercado português. Muita gente ainda precisa de descobrir a realidade virtual.

Como correu este primeiro ano, o que aprenderam?
Aprendemos em Lisboa que estamos a criar uma nova categoria de entretenimento… trata-se de algo completamente novo e as pessoas precisam de tempo para descobrirem o conceito. Quando o fazem ficam instantaneamente apaixonadas com a nossa tecnologia.

Quais as expectativas para o próximo ano? É possível crescerem em espaço ou estar noutras localidades em Portugal?
Sem dúvida que 2019 será um grande ano para a Zero Latency. Vamos fechar 2018 com 24 centros espalhados e esperamos chegar aos 60 em dezembro de 2019 e por isso as expectativas são grandes. Em Lisboa, vamos ver a chegada de jogo Outbreak Origins, considerado um dos melhores jogos de sempre… as pessoas vão adorar. E depois vamos ter também a primeira experiência PvP (Jogador versus Jogador). Nesta altura está a decorrer um lançamento Beta em Melbourne e as críticas têm sido fantásticas, por isso, estejam prontos.

In https://insider.dn.pt/